Publicado por: André Barros | 06/09/2008

Sobre Hidrocefalia

O que é hidrocefalia?

No interior do cérebro existem espaços chamados de ventrículos que são cavidades naturais que se comunicam entre si e são preenchidas pelo líquido cefalorraquidiano ou simplesmente liquor, como também é conhecido. O termo hidrocefalia refere-se a uma condição na qual a quantidade de liquor aumenta dentro da cabeça. Este aumento anormal do volume de líquido dilata os ventrículos e comprime o cérebro contra os ossos do crânio provocando uma série de sintomas que devem ser sempre rapidamente tratados para prevenir danos mais sérios. Muitas vezes pode ser detectada antes mesmo do nascimento, quando se emprega o exame de ultra-som no acompanhamento da gravidez.

Trânsito liquórico

A principal função deste líquido é proteger o cérebro contra eventuais choques mecânicos, mas também desempenha importante papel na  proteção biológica do sistema nervoso, distribuindo nutrientes e agentes de defesa contra infecções. O liquor é produzido por estruturas glandulares chamadas de plexo coróide e, após circular pelo interior do cérebro, é absorvido pela circulação sangüínea em sua maior parte por corpúsculos localizados ao longo de uma grande veia situada na parte interna do topo do crânio. Para chegar a estas estruturas, o líquido circula pelos ventrículos até sair por pequenos orifícios situados na parte posterior da medula, logo abaixo do quarto ventrículo

Dilatação ventricular


Uma pessoa adulta produz cerca de 100 ml de liquor por dia, em um ciclo ininterrupto de produção e absorção. É um estado de equilíbrio dinâmico (o volume produzido em uma parte do sistema é absorvido simultaneamente em outra parte). Se houver algum problema que obstrua o livre trânsito do líquido, ele se acumulará dentro dos ventrículos. O volume crescente dos ventrículos comprimirá o cérebro contra os ossos do crânio provocando uma série de sinais e sintomas neurológicos.

Por que ocorre a hidrocefalia?

A hidrocefalia ocorre quando há um desequilíbrio entre a produção e a reabsorção desse líquido. A condição mais comum é uma obstrução da passagem do liquor, seja por prematuridade, cistos, tumores, traumas, infecções ou uma malformação do sistema nervoso como a mielomeningocele. Em casos raros, a causa é o aumento da produção do líquido em vez de obstrução.

A Hidrocefalia pode estar presente ao nascimento (congênita) ou pode desenvolver depois (adquirida).

·         A Hidrocefalia Congênita está presente ao nascimento, embora possa passar desapercebida por anos. Ela se forma quando o cérebro e as estruturas vizinhas se desenvolvem de forma anormal. A causa exata é normalmente desconhecida, mas pode incluir causas genéticas e certas infecções durante a gravidez.

·         A Hidrocefalia Adquirida resulta de traumas ou doenças que acontecem durante ou depois do nascimento, incluindo infecções no cérebro e na coluna vertebral (meningites), sangramento de vasos sanguíneos no cérebro, trauma de crânio, ou tumores e cistos cerebrais. A Hidrocefalia pode acontecer mesmo quando não há nenhum trauma ou doença conhecidos para causá-la.

Tumor cerebral – Tumores do cérebro causam inchaço dos tecidos circundantes, resultando em pobre drenagem do líquor.

Meningite - Esta é uma infecção das membranas que recobrem o cérebro. A inflamação e debridação desta infecção pode bloquear as vias de drenagem causando hidrocefalia.

Prematuridade – Bebês nascidos prematuramente são mais vulneráveis ao desenvolvimento de hidrocefalia do que aqueles nascidos a termo, desde que muitas partes do corpo ainda não estão amadurecidas. A atividade da área que está logo abaixo da linha dos ventrículos no cérebro apresenta um rico suprimento sanguíneo. Seus vasos sanguíneos podem ser facilmente rompidos se o bebê sofrer uma mudança na pressão sanguínea ou na quantidade de fluído no sistema.

Diagnóstico

A Hidrocefalia congênita pode ser diagnosticada durante um ultra-som pré-natal de rotina, mas freqüentemente é descoberta durante a infância ou enquanto bebê. O médico pode suspeitar de hidrocefalia antes de outros sintomas quando uma criança parece ter uma cabeça grande, que parece estar crescendo rapidamente. Se o osso do crânio (fontanela anterior) ainda está aberto, um ultra-som da cabeça pode determinar se o crânio está crescendo devido a Hidrocefalia. Se os resultados do ultra-som forem anormais, uma melhor avaliação é necessária.

O médico irá perguntar pela história clínica da pessoa e fará um exame físico e neurológico. Podem ser obtidas imagens detalhadas do cérebro com uma Tomografia Computadorizada (TC) ou um exame de Imagem de Ressonância Magnética (IRM). Se estas imagens revelam Hidrocefalia ou outros problemas, a criança ou o adulto normalmente são encaminhados a um neurocirurgião para avaliação adicional e tratamento.

Como é o tratamento da hidrocefalia?

A cirurgia de implante de válvula é o tratamento ideal para se retirar o excesso de líquido de dentro do sistema ventricular. A válvula, acoplada a um tubo flexível de silicone, drena o excesso de líquido para a cavidade abdominal, reduzindo a pressão interna dos ventrículos cerebrais.

Em casos especiais (cerca de 1/3 do total), pode ser realizada uma cirurgia chamada de terceiro ventriculostomia. Nesta técnica, produz-se um orifício no assoalho do ventrículo que fica na parte inferior do cérebro. Assim, o excesso de líquido encontrará uma saída alternativa, fazendo baixar a pressão intracraniana.

Cateter de derivação

O tratamento mais comum para este acúmulo de líquido no interior do cérebro é a instalação de um cateter ou tubo de silicone que drenará o excesso de liquor geralmente para a cavidade abdominal (em alguns casos, o líquido é drenado para o átrio cardíaco). Uma das pontas é inserida no interior da cavidade cerebral que contém o líquido. A outra ponta, após ser passada por debaixo da pele do pescoço e do tórax, é inserida na cavidade abdominal. Assim, o excesso de líquido é retirado de dentro do cérebro, aliviando a pressão intracraniana e reduzindo os sintomas neurológicos. Vasos sangüíneos presentes na superfície das alças intestinais absorverão o líquido que o tubo trará do cérebro para o abdômen. Observe que existe um dispositivo entre as duas pontas do cateter que pode ser palpado entre a superfície externa do crânio e a pele da pessoa. É uma válvula que serve exatamente para garantir que o líquido será drenado de dentro para fora do cérebro e não o contrário. Existem vários tipos de válvula à disposição do neurocirurgião atualmente. A escolha do mecanismo dependerá de fatores intrínsecos ao paciente e ao cirurgião.

Complicação

Infelizmente podem ocorrer complicações com o mecanismo de drenagem. A mais comum é a obstrução da ponta inserida dentro do cérebro seja por infecções locais, coágulos sangüíneos ou por precipitação de proteínas presentes na composição do liquor formando verdadeiras rolhas nos orifícios de entrada do cateter. A conseqüência é a parada da drenagem levando ao aumento do volume ventricular e compressão progressiva do cérebro contra a superfície interna do crânio. A pessoa apresentará os sintomas característicos do aumento da pressão intracraniana como distúrbios visuais, cefaléia, náuseas, vômitos em jato, sonolência, convulsões etc., podendo até chegar à morte se não houver pronta interferência médica para sanar o problema. Uma vez constatado o mau funcionamento do cateter pelo neurocirurgião, ele operará o paciente para substituí-lo por um outro. Há muitos casos de pacientes que nunca necessitaram de trocas de válvula ao longo de suas vidas. No entanto, existem casos em que a substituição do sistema foi necessária muitas vezes, independentemente do tipo de válvula ou da técnica cirúrgica empregada.

Quais as conseqüências da hidrocefalia?

Nas crianças pequenas (abaixo de 2 anos), os ossos do crânio não estão soldados ainda e a hidrocefalia se torna óbvia. A cabeça cresce e a fontanela (moleira) pode estar tensa ou mesmo abaulada. O couro cabeludo parece esticado e fino e com as veias muito visíveis. Palpando-se a cabeça, é possível perceber um aumento do espaço entre os ossos do crânio. A criança pode parecer incapaz de olhar para cima, com os olhos sempre desviados para baixo e podendo ainda apresentar vômitos, irritabilidade, sonolência e convulsões. Nas crianças maiores (acima de 2 anos), como os ossos já se soldaram, o excesso de liquor levará a um aumento da pressão dentro da cabeça o que pode ocasionar cefaléia, náuseas, vômitos, distúrbios visuais, incoordenação motora, alterações na personalidade e dificuldade de concentração. Outro sinal comum é uma piora gradual no desempenho escolar. Tais sintomas exigem avaliação médica imediata. Se houver alargamento dos ventrículos cerebrais, ele poderá ser facilmente observado por ultra-sonografia, tomografia ou ressonância magnética.

Prognóstico

A perspectiva depende da causa de Hidrocefalia e normalmente é melhor se o problema é diagnosticado e é tratado cedo. Se a hidrocefalia piora rapidamente ou dura muito tempo, pode causar lesão cerebral e até a morte.

Crianças com Hidrocefalia são mais prováveis de ter déficits de desenvolvimento. Até mesmo depois de tratadas, a maioria das crianças com Hidrocefalia tem inteligência mais baixa, problemas de memória e problemas visuais, incluindo estrabismo (olhos desalinhados). Crianças com Hidrocefalia também podem entrar na puberdade mais cedo que o normal.

Com tratamento apropriado, a sobrevida da maioria das crianças com hidrocefalia é boa e aproximadamente a metade delas tem inteligência normal.

Prevenção

Algumas das causas de Hidrocefalia podem ser prevenidas:

·         Para ajudar a evitar uma lesão grave da cabeça, use um capacete de proteção apropriado ao participar de uma prática esportiva de contato ou outras atividades, como esquiar, patinar, andar de skate ou bicicleta, com um risco de trauma de crânio.

·         Se você estiver grávida, consulte com seu ginecologista assim que você souber que engravidou e faça o pré-natal. Seu médico irá checar algumas possíveis infecções e problemas que possam acontecer durante a gravidez. Visitas regulares também reduzirão o risco de nascimento prematuro.

About these ads

Responses

  1. Gostaria de saber mais sobre a hidrocefalia em adultos. Após a cirurgia qual o quadro que se deve esperar?

    Obrigada
    Ivana


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: